Quem sou eu

Minha foto
SOU ALVO DO AMOR DE DEUS E ELE É O ALVO DA MINHA ADORAÇÃO! Quem sou eu? De fato é uma boa pergunta, porque quase sempre me pego questionando justamente isso. Talvez eu seja alguém, que não é capaz de fazer tanto quanto os outros pensem e esperem que eu faça. Uma pessoa constrangida por ter tantas falhas, mas realista em ver as possibilidades para vencer! Preciso sim de muitas mudanças, afinal de contas minha história ainda está sendo escrita e ainda tenho longos capítulos a serem escritos. Sonho e acordo, caio e levanto, mas nunca desisto de tentar, mesmo que seja dificil. Quem sou eu? Acho que não existe uma resposta definitiva a respeito disso, porque talvez você pense algo a meu respeito que daqui há 1 semana não será mais o mesmo. Concluo então que se eu não sou capaz de me definir, você também não poderá fazer o mesmo, façamos o seguinte, caminhe comigo, ou continue a me observar de onde você está, ai lá no fim dessa estrada seremos capazes de dizer QUEM SOU EU!

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

CRESCER DÓI!



“...mas Deus, que dá o crescimento” 1 Coríntios 3:7

“O pai de uma menina de 10 anos de idade, resolveu levá-la ao médico pois ela há muitos dias se queixava de dores nas pernas. Ele procurou um dos melhores especialistas de sua cidade e foram feitos vários exames. O pai da menina ansioso perguntou ao médico:
- Doutor o que minha filha tem?
- Sua filha está crescendo. Respondeu o médico.
- Como assim? Questionou o pai.
- Isso mesmo, ela está crescendo e crescer dói!”
Após ouvir e meditar nessa história cheguei a uma conclusão: se o nosso corpo físico ao se desenvolver ou seja, crescer, nos faz sentir dores, é evidente que vamos sofrer fortes dores para crescermos espiritualmente.
Podemos nos comparar a uma semente lançada em um solo fértil, que no seu tempo produzirá o seu fruto. Pense um pouco... A única razão de uma árvore existir, é para dar continuidade a sua espécie, uma árvore pode produzir sombra, embelezar a paisagem, mas ela com o tempo vai precisar lançar suas sementes ao solo para dar continuidade a sua espécie.
Quando lançada ao solo, a árvore fica insegura, sem saber qual será seu futuro, mas quando penetra no solo essa semente se sentirá aquecida, segura, mas, às vezes ela poderá se sentir só. Quanto mais o tempo passar, maiores serão os desafios para essa semente. Aos poucos ela vai crescendo, quando pequena e também grande, ela enfrenta fortes chuvas, o calor do sol, a sequidão. Mas nem por isso ela desiste de ser uma árvore, em todas as estações ela permanece firme em seu propósito. Algumas pessoas aparecem e tentam cortar a árvore, outras irão podá-la para ajudar em seu crescimento e, ela continua persistindo até o dia em que seu primeiro fruto aparece, todos olham para essa árvore com outros olhos, as pessoas veêm a importância que ela têm, mas não foi fácil para ela chegar até esse momento, como doeu, como ela sofreu. Logo saem daquela árvore várias sementes que serão lançadas ao vento, para cair em um solo e a história destas sementes você já conhece.
Talvez sua vida seja semelhante a essa árvore. Em nossa caminhada sofremos com as lutas e com as dores, mas, precisamos compreender que enquanto neste mundo, sempre estaremos crescendo e assim, como aquela menina sentindo dores. O que vai contar é como nos portaremos diante desse crescimento, vamos ficar reclamando, chorando, ou vamos tomar a decisão de estarmos sempre aprendendo com nossas dores e superarmos os obstáculos.
Estar alegre, ter muitas pessoas ao redor, ser conhecido, tudo isso é muito bom, mas nada se compara aos desafios, nada melhor que os momentos em que somos provados, é durante este tempo, que somos moldados pelo oleiro, transformados em vasos fortes, inquebráveis. Aprenderemos mais durante o tempo de dor, do que no tempo de paz e o que aprendermos e fizermos no tempo de dor é que contará de fato quem somos e o que estamos nos tornando.
Cabe a nós, darmos continuidade a nossa espécie. E você pode me perguntar que espécie é essa? E eu te respondo: A vida de Cristo. Será que temos dado continuidade a nossa espécie? Ou estamos presos dentro de nossas dores com medo de brotarmos e vermos a luz do sol? Será que temos vivido de nosso passado, ou temos experimentado uma transformação diária?
O tempo vai passar e quando você se tornar uma grande árvore, o que as pessoas poderão ver? Uma árvore fraca, que não suporta as fortes chuvas, nem o calor intenso do sol, ou uma árvore forte, com vistosos frutos, bem enraizada, sem medo dos temporais ou da seca?
Assim como o apóstolo Paulo, vamos seguir rumo ao nosso alvo (Fp 3:14), sem nos abatermos, não vamos ficar com medo de brotarmos, sejamos ousados, quando nos podarem, tenhamos a certeza de que será melhor para nosso crescimento, cresceremos mais fortes, mesmo que doa, não vamos desistir, pois Cristo quando sofreu por nós, não desistiu de pagar o preço por nós. E quando as dores forem mais fortes do que você, lembre-se: “CRESCER DÓI!”


Raquel Castro


3 comentários:

Silvania Itaboray disse...

Paz amadadinha...
É preciso escrever sobre essa dor...“E crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça..."
(Lc 2.52).
Ficamos imaginando que pode estar havendo no meio evangélico um "nanismo espiritual", provocado por uma alimentação inadequada ou por um desejo próprio, mas oculto da consciência, de permanecer "ad eternum" no mesmo estágio.

Crescer dói, mas sem crescer não há como alcançar a estatura que Deus deseja para nós.
Um grande abraço amada.

RAQUEL CASTRO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Débora disse...

Nossa... Ta bacana d+ aki... Q Deus continue te abençoando a cada dia mais, q Ele te proteja hj e sempriiiii... Bjux...